Projeto Educativo Cultura e Arte:

“Projeto Pintando Os Ser7ões com as Crianças”

Toda criança gosta de desenhar, seja com lápis de cor, tinta guache ou na areia, os pequenos de todos os países, épocas e classes sociais desenham suas casas, famílias e plantas, e, depois, mostram o resultado orgulhosos, mesmo que sejam apenas alguns rabiscos. Desenhar é uma característica importante do ser humano. Tudo começou na época em que o homem vivia nas cavernas e passou a desenhar nas paredes os animais e as atividades que faziam parte de sua vida (pinturas rupestres). Indo ou não à escola, é natural que o ser humano desenhe, porque o desenho já existia antes mesmo da criação da escola, explica a neurocientista e antropóloga Elvira Souza Lima. 

 

Com proposta para o desenvolvimento social através da arte – instrumento de desenvolvimento social – O Instituto IADIS vem munido de competência, habilidades e técnicas pedagógicas, desenvolver projeto educativo através da arte - desenho, intitulado: “Pintando os ser7ões com as crianças (Arte desenho – instrumento de desenvolvimento social)”. Esta ação educativa é promovida por iniciativa do Instituto IADIS em parceria, sendo portanto, um projeto de desenvolvimento humano e inclusão social de interesse público.

 

Para desenvolver este projeto o Instituto IADIS em parceria faz a distribuição de material de arte executando e monitorando Oficinas de Arte-desenho em comunidades do sertão nordestino, tendo como  objetivo contribuir para o desenvolvimento da oralidade, interação e socialização, através da construção da arte-desenho produzidas  pelas crianças.

 

Através deste projeto é possível: Aprofundar os conhecimentos das crianças sobre cores, linhas, formas geométricas e espaço; Identificar cores primárias e secundárias, trabalhar coordenação motora fina e ampla; Desenvolver raciocínio lógico matemático por meio de trabalhos concretos de arte-desenho, contribuindo para o desenvolvimento humano das crianças na região do nordeste.

Atividades na 1ª Oficina de Arte-desenho do Projeto na região do Vale do São Francisco-PE:

Algumas ações  sendo desenvolvidas no Projeto... 

Levando a arte desenho...

Atividades monitoradas...

Estimulando a imaginação das crianças...

Promovendo a interação social...

Outros Projetos:

Projeto de Assistência Social e Capacitação Educativa no Meio Ambiente.

Estamos atualizando dados sobre este Projeto...Favor aguardar!

Projeto Educativo a Saúde  Bucal de Crianças do Sertão Nordestino.

Estamos atualizando dados sobre este Projeto...Favor aguardar!

"Seja bem vindo como nosso parceiro em Projetos de Interesse Público!"

Atividades na 2ª Oficina de Arte-desenho do Projeto na região do Vale do São Francisco-PE:

A confiança vem quando nivelamos o dialogo com a atenção necessária...

Connhecer, aprender, interagir criando novas expectativas...

Em meio as oportunidade descobrimos novos  talentos... 

Valorizar,  fortalcer e conservar a cultura  é  preservar a identidade!

Atividades na 3ª Oficina de Arte-desenho do Projeto na região do Vale do São Francisco-PE:

Atividades na 3ª Oficina de Arte-desenho do Projeto na região do Vale do São Francisco-PE:

Construindo o saber ...

Ajudando a conservar a cultura... 

Gerando autoestima...

Promovendo inclusão ...

Oficina: Cores da Identidade Truká

Interagindo e estimulando... 

Acreditando na capacidade de criação... 

Preservando memórias...

Oficina educativa para as relações étnico-raciais na região metropolitana do grande Recife-PE:

Oficina educativa para as relações étnico-raciais na região metropolitana do grande Recife-PE:

Promovendo o empoderamento étnico por meio da educação...

Esclarecendo mitos, reproduzindo valores e respeito às diferenças ...

Estimulando a cultura da reflexão a respeito dos direitos e deveres sociais...

Informando e instruindo  para alcançarmos

Dias Melhores...

Oficina Artística para as relações étnico-raciais na região metropolitana do grande Recife-PE:

Construir conhecimentos é considerar  toda  forma "do saber"...

Promovendo uma atmosfera de troca de saberes...    

Projeto para Relações de empoderamento étnico-racial de mulheres:

“Projeto Mulheres do Morro”

O presente Projeto chamado Mulheres do Morro, nasceu na perspectiva de empoderamento étnico-racial de mulheres entre 15 à 35 anos que residem em morros urbanos de Jaboatão dos Guararapes. O escrito elaborado por Gasman (2015) diz que, há uma combinação cruel e extremamente violenta entre racismo e sexismo no Brasil. As mulheres - e sobre tudo as mulheres negras - estão expostas à violência direta, que lhes vitimam fatalmente nas relações afetivas, indireta, àquela que atinge seus filhos e pessoas próximas.

No Brasil a diversidade étnica pela construção histórica é marcada pela exploração e trabalho escravo, entretanto em sua memória coletiva, não tem um reconhecimento de identidade étnica-racial tornando-se refém da história dos exploradores colonizadores, as mulheres neste processo sofreram maiores consequências pelo patriarcado e pela cultura da violência sendo por décadas naturalizado e sem leis para punir tamanha barbaridade. É nesse contexto que esse projeto Mulheres do Morro viabilizado pelo Instituto IADIS visa realizar ações de combate a violência contra às mulheres negras, discutindo com toda sociedade em especial com as mulheres dos morros que são vítimas diárias de todos os tipos de violências, quer seja física, verbal, institucional e psicológicas, pontuando os caminhos a serem seguidos para o empoderamento feminino contra os abusos, racismos e exclusão social.

Sendo uma realidade diária, marcada por trajetórias e situações muito duras e que as Mulheres do Morro enfrentam, na maioria das vezes sozinhas - “O racismo, que como relação de dominação, tem sua origem na criação de estereótipos e descriminações negativas de um grupo social sobre outro” (CAMPOS, 1996, P, 93) - as mulheres dos Morros de Jaboatão conhecem bem essa realidade de racismo e discriminações movida pelo composto de vulnerabilidades estruturantes que são passivas. Conforme o censo 2010 a população do município total tem 644.620 habitantes divididos entre 304.850 homens, enquanto a população feminina maioria é de 339.770 habitantes sendo 52.71% de mulheres e 47.29% de homens, em sua maior parte estão entre 14 a 34 anos do gênero feminino no município em média 15% de mulheres nesta faixa etária, 18% das mulheres de Jaboatão são chefes de família sem ensino fundamental e com filho menor, em vulnerabilidades, 33,8% da população só tem ensino fundamental incompleto e apenas 7,8% superior completo.

O reconhecimento dos indivíduos ou grupos em sua identidade étnica é um fator para desconstruir a institucionalização do racismo no Brasil. Elemento estruturante da sociedade brasileira composta por uma elite dominante de homens brancos, um patriarcado, tornando-se o racismo o sustentáculo do capitalismo. Hall define etnia “pelas características culturais - língua, religião, costumes, tradição, sentimento de lugar que são partilhados por um povo” (HALL, 2015).

Referências:

CAMPOS, Regina Helena de Freitas Campos. Psicologia Social Comunitária: Da Solidariedade à autonomia. ED, 16- Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

HALL, Stuart Hall. A Identidade Cultural na Pós-modernidade. 11ª ed. Rio de Janeiro. DP&A,2006.

RIBEIRO, Matilde Ribeiro. Políticas de Promoção da Igualdade Racial no Brasil (1986- 2010). Rio de Janeiro.  1-ed. Gramound, 2014.

Regina Marçal

Com proposta para o desenvolvimento social, o projeto Mulheres do Morro tem como perspectiva desenvolver pesquisa-ação com debates, fóruns de debates, cines debates, oficinas para geração de renda, organização do fórum municipal de Mulheres do Morro, relatos de experiências de mulheres de sucesso dos morros de Jaboatão, em escolas das comunidades espalhadas nas sete regionais do município, associações de moradores, igrejas, casas de colaboradores do projeto, ONGs, entre outros espaços receptivos à reflexão sobre temas com viés de gênero, sexualidade, empreendedorismo feminino, empregabilidade feminina, educação para mulheres, estudos sobre a lei Maria da Penha, racismo institucional, beleza da mulher negra, gravidez na adolescência entre outros relevantes para desenvolvimento e inclusão social das Mulheres do Morro.

O projeto não estabelece fronteiras  quando o assunto é  defesa dos direitos sociais das mulheres. Nesse sentido, de forma solidária, o projeto Mulheres do Morro estabelece conexão com o movimento “Resiste Sancho”, no bairro do Sacho na região metropolitana do Recife, buscando desenvolver pesquisa, refletir e dialogar acerca de como as mulheres se posicionaram politicamente no processo de resistência em defesa de seus espaços - inclusive físicos, seus lares - a partir do viés da identidade e da luta popular localizadas no entorno do Complexo Prisional do Curado Recife – PE, diante do decreto da desapropriação aprovado pelo Governador Paulo Câmara no dia 06/04/2016.

Atividades no Projeto Mulheres do Morro:

Projeto para Desenvolvimento de Capital Humano:

“Projeto Jovens de Sucesso”

  “O êxito da vida não se mede pelo caminho que você conquistou, mas sim pelas dificuldades que superou no caminho.”   (Abraham Lincoln) 

 

Presente projeto realizado em duas comunidades do município de Jaboatão dos Guararapes, foi idealizado na perspectiva de mediar saberes sobre empregabilidade na construção de jovens empoderados para a vida consequentemente para as atividades laborais, traçando metas para realizações de sonhos, aprendendo a aprender com as dificuldades e vulnerabilidades vivenciadas que sofrem no cotidiano dos morros de Jaboatão,  múltiplas violências simbólicas, dentre elas o racismo, discriminações, machismo, falta de identidade étnica racial. Comunidades com altos índices de jovens fora da escola, em faixa etária desregular em turmas de EJA (Educação de Jovens e adultos), uso abusivo de drogas licitas e ilícitas entre outras fragilidades causadas por faltas de políticas públicas de inclusão social e ações afirmativas efetivas para os jovens negros de baixa renda, moradores de periferias violentas.

 

Educação continuada é a continuidade das diversas formas de educação pelo qual o indivíduo vai se aperfeiçoando ao longo de sua existência adquirindo novas habilidades e competências para uso profissional e pessoal, o curso de empregabilidade dialoga com a afirmação que “aprender vai muito além dos muros da escola”. Desde o nascimento os indivíduos estão aprendendo a todo o momento, aprender é viver, dar continuidade a essa aprendizagem é o quê chamamos de educação continuada que percebesse que não importa qual modalidade as pessoas estão interagindo seja formal, informal ou não formal, mas a contribuição real que a educação trás para as pessoas é inconfundível.

 

Portanto, a educação conforme Libânio (1979, p. 83), 

 

[...] é a preparação para a vida, é a própria vida [...] A educação é uma constante reconstrução ou reorganização da nossa experiência, que opera uma transformação direta da qualidade da experiência, isto é, esclarece e aumenta o sentido da experiência e, ao mesmo tempo, nossa aptidão para dirigirmos o curso das experiências subsequentes.

Talento era o nome dado ao peso e moeda na antiguidade grega e romana. Denota alguém que sabe fazer bem uma certa atividade com habilidade, engenho e sucesso, o talento esta intimamente ligada a empregabilidade. A empregabilidade significa o conjunto de competências e habilidades necessárias para uma pessoa manter-se colocada ativa no mercado de trabalho. Significa a capacidade de conquistar e de manter um emprego de maneira sempre firme e valiosa. E como a natureza do trabalho está mudando rapidamente, essa capacidade deve necessariamente incluir flexibilidade e inovação da pessoa para acompanhar essa mudança irresistível. O emprego está se tornando temporário, parcial, fugidio e passageiro, mas do que isso multifuncional, flexível e mutável na sociedade pós-moderna é necessário resiliência para lidar com situações de estresse, pressão, problemas e adversidades. Desenvolver o autoconhecimento importante para os jovens   tornar-se senhores de suas escolhas, conscientes das posturas tomadas e líderes de si mesmos. Aquele que se conhece sabe aonde quer chegar, para onde quer ir, e o que fazer para alcançar sua realização pessoal. Empoderando-se de identidade pessoal, esses foram os resultados esperados a fim do curso reflexão sobre metas, sonhos, resiliência, autoconhecimento, marketing pessoal e habilidades atitudinais para o bem viver. 

O presente projeto chamado Jovens de Sucesso teve como objetivo o desenvolvimento de capital humano, de relacionamentos interpessoais, de liderança e diferencial competitivo com a perspectiva para a redução de danos causados pelas vulnerabilidades sociais vivenciadas por jovens negros de comunidades. Viabilizando um Curso de Educação Profissional de Empregabilidade com carga horaria de 100 horas, no ambiente de duas comunidades na região de Jaboatão dos Guararapes PE, contando com a participação de 50 (cinquenta) jovens de idade entre 14 a 29 anos, o Instituto IADIS desenvolveu atividades na expectativas de empoderamento étnico racial no viés da educação profissional.

Com proposta para o desenvolvimento social, este projeto provocou mudanças positivas de comportamentos entre jovens por meio do aprendizado sendo relevante para desenvolvimento e inclusão social de jovens  de comunidades. O Instituto IADIS coopera com essa iniciativa para que a educação seja uma via de acesso ao empoderamento da identidade cultural, da autoestima e autonomia do indivíduo em sua vida profissional. A atmosfera do saber é fundamental para se tratar às diferenças étnicas contribuindo para diminuir e prevenir o processo de exclusão social e a incorporação do preconceitos, que por sua vez acuam oportunidades promissoras de desenvolvimento humano de pessoas de comunidades.

Atividades no Projeto Jovens de Sucesso:

Projeto para Terceira Idade:

" Projeto VIVER MELHOR "

Projeto para Desenvolvimento Humano:

“ Projeto NAGILA“

   O projeto NAGILA visa atuar em parceria com escolas para provocar o desenvolvimento dos alunos do ensino médio, alunos negros, residentes de periferias que sofrem inúmeras vulnerabilidades sociais dentre elas o racísmo e falta de empoderamento étnico-racial.

    O NAGILA teve sua metodologia desenvolvida no ano de 2016 pela equipe de projetos do IADIS, objetivando  desenvolve, em conjunto com os estudantes, um saber crítico sobre as relações étnico-raciais por meio da história do negro no Brasil. Também estimula os jovens a traçar metas e objetivos profissionais, abordando temas como o acesso a cotas para concursos públicos, produção de currículos e até discussões sobre racismo institucional.  Ações e conhecimentos práticos para o início da vida profissional da juventude negra deve abordar, como por exemplo assedio moral, endomarketing, jogos coorporativos, resiliência profissional, empregabilidade e empreendedorismo, conhecimentos e habilidades importantíssimos a serem desenvolvidas contribuindo para o empoderamento psicossocial, profissional e acadêmico. O Projeto contempla um curso em três módulos - Diagnóstica, Formativa e Atitudinal e outras ações culturais que envolve toda comunidade escolar.

     Em todo o mundo, segundo diversas pesquisas e estudos realizados, 6,84% de negros e 43,80% de afrodescendentes sofre alguma forma de preconceito durante a vida, sendo o autor do preconceito, geralmente, um membro de sua própria escola. “As feridas da discriminação racial se exibem ao mais superficial olhar sobre a realidade do país” - diz Abdias Nascimento.

   O projeto NAGILA visa atuar em parceria com escolas para provocar o desenvolvimento dos alunos do ensino médio, alunos negros, residentes de periferias que sofrem inúmeras vulnerabilidades sociais dentre elas o racísmo e falta de empoderamento étnico-racial.

    O NAGILA desenvolve, em conjunto com os estudantes, um saber crítico sobre as relações étnico-raciais por meio da história do negro no Brasil. Também estimula os jovens a traçar metas e objetivos profissionais, abordando temas como o acesso a cotas para concursos públicos, produção de currículos e até discussões sobre racismo institucional.  Ações e conhecimentos práticos para o início da vida profissional da juventude negra deve abordar, como por exemplo assedio moral, endomarketing, jogos coorporativos, resiliência profissional, empregabilidade e empreendedorismo, conhecimentos e habilidades importantíssimos a serem desenvolvidas contribuindo para o empoderamento psicossocial, profissional e acadêmico. O Projeto contempla um curso em três módulos - Diagnóstica, Formativa e Atitudinal e outras ações culturais que envolve toda comunidade escolar.

     Em todo o mundo, segundo diversas pesquisas e estudos realizados, 6,84% de negros e 43,80% de afrodescendentes sofre alguma forma de preconceito durante a vida, sendo o autor do preconceito, geralmente, um membro de sua própria escola. “As feridas da discriminação racial se exibem ao mais superficial olhar sobre a realidade do país” - diz Abdias Nascimento.

      A execução do Projeto NAGILA

  

      O Projeto NAGILA teve sua constituição teórica produzida e idealizada por pesquisadores do Instituto IADIS no ano de 2016, tendo como autora e co-autor à Pedagoga Regina Pontes Marçal e o Sociólogo Rinaldo José da Silva Junior, membros do Instituto IADIS, ambos Pós-graduados e mestrandos em Educação Cultura Identidade, tratando nas suas respectivas linhas de pesquisas cientifica Relações Étnicas. A equipe de pesquisadores do Instituto IADIS procurou criteriosamente uma EREM do estado de Pernambuco para desenvolver uma prática do Projeto Teórico NAGILA do Instituto IADIS E, por meio de parceria vem executando uma prática do projeto no ano de 2017 no equipamento de educação pública do Estado de Pernambuco na cidade de Chã de Alegria EREM Escola Presidente Costa e Silva a qual aceitou e deu anuência para execução do Projeto NAGILA sendo portanto receptora e parceira no exercício.

       O exercício do Projeto NAGILA do Instituto IADIS praticado na EREM anuente tem sua logística viabilizada graças ao apoio do Instituto Unibanco que no ano de 2017 investiu na execução da experiência do NAGILA que atendeu critérios  em Gestão Escolar para Equidade - Juventude Negra. O Projeto NAGILA do Instituto IADIS vem  contribuir com frutos positivos para a comunidade escolar local, para o destaque e o aperfeiçoamento da gestão escolar beneficiando o jovem cidadão Pernambucano.

            Acreditando que a educação de qualidade é de interesse público, o Instituto IADIS por meio de sua equipe de professores e pesquisadores disponibiliza a metodologia do Projeto NAGILA e se coloca à disposição para maiores esclarecimentos e possíveis visitas de nossa equipe a sua escola. Ressaltamos que o material aqui ofertado como apoio didático é uma composição de bibliografias relevantes coletadas e lançadas na Apostila Curso NAGILA para provocar sua caminhada na temática étnica proposta no Projeto NAGILA em sala de aula, considerando que a aprendizado não se esgota nesse instrumento por si só, sendo esse uma ferramenta de caráter facilitador, que também é passivo de aperfeiçoamento como material de apoio didático, visto que o conhecimento é algo evolutivo sempre...

 

              Boas Aulas! Bom Curso NAGILA!

Download Grátis do Material Didático do Curso NAGILA

Atividades no Projeto NAGILA - Inauguração do Projeto:

Atividades no Projeto NAGILA - Dinâmicas e debates - Jovens interagindo sobre pré-conceitos:

Atividades no Projeto NAGILA - Cine debate:

Atividades no Projeto NAGILA - Oficina de Arte Grafitagem:

 Projeto de Inclusão Digital:

 Projeto de Inclusão MOVIMENTO NEGRO EVANGELICO DO RECIFE:

log projeto vanessa.png
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • YouTube Social  Icon

 Projeto de Emponderamento Feminino e Enfrentamento a Violência de Gênero:

projetos elas por elas.png
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

 Projeto de Ação Educativa no combate a Preconceito e a Discriminação racial e cultural

arifa.png
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

 Projeto em Parceria Estratégica para promoção da inclusão social por meio da participação de recifenses no Maior evento nos Emirados Árabes Unidos

      O Instituto de Apoio ao Desenvolvimento e Inclusão Social – IADIS coopera em Parceria Estratégica com a Prefeitura da Cidade do Recife Secretaria de Educação Diretoria Executiva de Gestão Pedagógica para promoção da inclusão social por meio da participação de recifenses no Maior evento nos Emirados Árabes Unidos (MILSET Ex-Science Internacional 2019 – ESI no período de 22 a 28 de setembro de 2019 em ABU DHABI, United Árabe Emirantes) gerando portanto novas expectativas no campo informacional, na autoestima e no empoderamento frente a educação, pesquisa e projetos inclusivos buscando sempre Dias Melhores para Todos!

evento_nos_Emirados_Árabes.jpg
ESI 2019.jpg
ABU DHABI.jpg
evento MILSET.jpg
realização_cecasimi.png
sate iadis_01.png
sate iadis_02.png
sate iadis_04.png
4 foto para site.jpg
foto da prestação de conta no site.jpg
foto para o site.jpg
foto para o site 2.jpg